Entre as iniciativas em busca da melhoria da educação no estado de São Paulo, o programa São Paulo faz Escola trouxe o Caderno do Aluno. Além de todo o processo de unificação do material pedagógico, de conteúdo ensina e exercícios praticados em milhares de escolas pelo estado, o Caderno do Aluno é a iniciativa que reúne, para o aluno, os métodos de aprendizado que serão passados a ele.

Ele funciona em conjunto a outros materiais pedagógicos, como o próprio Caderno do Professor. O próprio material é, na prática, resultado do sucesso do lançamento da versão unificada dos materiais pedagógicos, que criou o cenário favorável para o lançamento do material uniforme para os alunos da rede estadual.

Saiba mais sobre o Caderno do Aluno, sua criação e principais características:

Quando a iniciativa foi criada?

O ano de 2008 marcou o lançamento do primeiro material unificado para a rede estadual de ensino do estado de São Paulo, fruto do programa São Paulo faz Escola. No período letivo do lançamento, o material foi especificamente voltado para professores e professoras da rede. O material inclui exercícios, fontes pedagógicas e várias outras ferramentas úteis para o ensino.

O bom recebimento dos Cadernos fortaleceu a ideia, e levou à execução do Caderno do Aluno. Nele, todo o material utilizado no ensino dos alunos – incluindo conteúdo e exercícios – estaria padronizado para os estudantes da rede estadual de São Paulo.

O material foi lançado para o ano letivo de 2009, e é adotado desde então. A ideia é que possibilite condições mais igualitárias de aprendizado, além da certeza de que todas as escolas garantirão acesso a uma grade curricular semelhante e cuidadosamente elaborada para a realidade dos estudantes.

Do quinto ano ao fim do Ensino Médio

Uma das grandes vantagens do Caderno do Aluno é o tempo pelo qual ele acompanha os estudantes. Desde o quinto ano do ensino fundamental, até o último ano do ensino médio. Isso permite que os alunos acostumem-se ao método, adaptando-se à linguagem, ao estilo visual e permitindo que desenvolvam um método de estudo duradouro ao longo de sua formação inicial.

Isso evita que o aluno interessado precise desenvolver estilos diferentes de estudo para cada ano ou matéria na escola em função das mudanças de material didático, por exemplo.

Material unificado favorece investimentos

Toda a rede estadual de escolas de São Paulo conta, desde 2009, com o Caderno do Aluno. Isso significa que os órgãos responsáveis pelo desenvolvimento do material para os estudantes pode focar todos seus esforços em uma única iniciativa.

Além disso, a adoção de um material unificado e desenvolvido especificamente para aquele fim reduz os custos com compra de material didático pronto. Isso garante que as verbas destinadas para isso sejam direcionadas para o desenvolvimento de material de qualidade ou outras melhorias no ensino público.

Consulta online ao material

Outro ponto verdadeiramente positivo do Caderno do Aluno vai além da linguagem. Trata-se do meio: compreendendo a maior interatividade de todas as pessoas com o meio digital, o programa São Paulo faz Educação desenvolveu, entre suas premissas, a possibilidade de consulta ao conteúdo e aos exercícios de forma online.

Isso significa que os estudantes e professores podem ter acesso ao material mesmo quando estão longes dos cadernos físicos, através de qualquer dispositivo com acesso à internet.